• sexta, 25 de maio de 2018
  • |
  • 15:54

Cigarros de palha artesanais são alvo de falsificação em Barretos e em cidades da região

09/02/2018

Nem os cigarros de palha escaparam do alvo de criminosos e sendo falsificados. Uma representante dos Palheiros Paulistinha, empresa situada na cidade de Bebedouro, procurou a Polícia Militar de Barretos para averiguar uma denúncia. Segundo o Cabo Silvério a equipe se encontrava em uma operação controle de vias próximo ao Hospital de Câncer quando foram solicitados pela representante da empresa vítima da falsificação, onde segundo a solicitação a empresa recebeu uma denúncia via SAC – Serviço de Atendimento ao Consumidor que por um estabelecimento comercial em Barretos teriam alguns palheiros falsificados. Os policiais então acompanharam a solicitante até o comércio mencionado e por lá após averiguação foram encontradas 16 embalagens do produto falsificado, e segundo proprietário do comércio onde o produto foi apreendido, o vendedor que deixa os palheiros pelo local se identifica como um vendedor da empresa. O caso foi apresentado no Distrito Policial onde foi feita a apreensão dos produtos e encaminhados a perícia. Cristiane Aguiar, que representou a empresa também falou a nossa equipe sobre os problemas enfrentados pela empresa no combate à falsificação e na defesa dos consumidores que vem sendo lesados e consumindo um produto de baixa qualidade que pode inclusive causar malefícios a saúde das pessoas. Cristiane orientou aos consumidores que perceberem algum problema com o produto que podem continuar denunciado via SAC que a empresa irá continuar combatendo a falsificação que além de danos à saúde das pessoas ainda proporcionam uma grande sonegação de impostos. Alguns pontos desde a embalagem até no próprio produto podem ser identificados pela falsificação, no produto pode se perceber desde o sabor até na consistência onde o produto falsificado além de odor forte também é mais duro que o original, outro ponto para identificação da pirataria e falsificação do Palheiro Paulistinha é na embalagem na parte externa onde a cor do falsificado trata-se de cor mais clara e brilhante do que a original pois não conseguem falsificar a pigmentação da cor da embalagem, outro ponto na embalagem nas laterais são o código de barras que contém lote e fabricação, onde nesta informação jamais irá conter um lote com datas muito antigas ou mesmo que superiores a 4 meses de fabricação pois trata-se de produto artesanal feito em grande escala porém com grande consumo e por isso não a possibilidade de encontrar lotes datas muito retroativas, na outra lateral o SAC que a falsificada não tem e não deverá ter até por ser um canal de denúncias, já dentro da embalagem onde se acondiciona os palheiros existe uma marca na lateral meio florescente que também não foi passível da falsificação e dentre outras que podem ajudar a população que consome o produto que se atente para não ser enganado e comprar um produto falsificado. 



COMPARTILHE PARA SEUS AMIGOS:

Banner 2